Privilégios em Maui

Fabricio Fernandes comenta sua rotina havaiana em tempos de Covid-19


Mês que vem fazem dois anos que me mudei pra Maui em busca de uma vida melhor para minha família. Como minha irmã já morava aqui há muito tempo, isso facilitou bastante as coisas. Com a ajuda dela, do meu cunhado, dos amigos Rudá Carvalho e Yuri Soledade, com muita raça e dedicação, venho construindo minha vida. O ritmo não é fácil para imigrantes e sobra pouco tempo e energia para surfar.

Mas agora, como no mundo inteiro, tudo mudou. Trabalho, turismo, escolas, empresas, tudo parado por causa do Covid-19. No começo da pandemia, Maui ainda não havia acordado, mas com o passar dos dias, o lockdown ficou sério e o Hawaii, sendo USA, é um local onde as leis são cumpridas a risca. Dirigir embriagado ou em alta velocidade você pode ser preso. Descumprimento das regras de isolamento social é cadeia também. E não adianta tentar argumentar com a polícia por que isso aqui não existe!

Claro que por ser uma ilha, com as regras de quarentena para quem chega e que tem uma extensão territorial 4 vezes maior que Salvador, com uma população 18 vezes menor, fica bem mais fácil de controlar.
Por isso as regras de isolamento e distanciamento não são tão rígidas como nas metrópoles. Usamos máscaras para entrar em bancos, supermercados, restaurantes, mas podemos sair para praticar esportes ao ar livre, o que inclui o surfe e Maui, lugar realmente abençoado por Deus, tem boas ondas o ano inteiro em Hookipa, Honolua e Pe’ahi no inverno quebram altas. Os dois primeiros também dão onda na Primavera, Outono e Verão, Westside e mais alguns secrets em outro lado da ilha quebram de sonho!

Com a pandemia, temos tido oportunidade de pegar onda todo dia, mas não se engane, não é porque não tem turismo que o crowd é pequeno, aqui todo mundo surfa. Então, quebrou Honolua ou Hookipa de gala, tem fácil 100 a 150 pessoas no pico. Já se você conhece alguns secrets, pode pegar onda quase ou totalmente sozinho, mas cuidado, não vá sem ninguém que saiba onde está entrando, pois as correntezas e as pedras podem ser um problema. E o encontro com um tubarão tigre não é nada agradável.

Hawaii é o lugar que alimenta o sonho de todo o surfista e Maui é um dos paraísos do arquipélago. Lugar tranquilo, povo alegre, que sempre está sorrindo, que valoriza a sua cultura e que tem com o surfe e a pesca como uma conexão divina.

PUBLICIDADE

Relacionadas

Free surfer Danilo Reis fecha apoio com a marca Hardsport

Fabricio Fernandes comenta sua rotina havaiana em tempos de Covid-19

Orlando Rodrigues registra a nova geração de atletas da praia do Forte

Direto de Barcelona, Marcelo Magalhães relata emoção em voltar ao surfe depois de dois meses de confinamento

SurfBahia traz uma panorama mundial da pandemia de Covid-19 no surfe

Surfista e legend ilheense Gustavo Apoena sofre infarto fulminante

Black Trunks de Surf promove competição de vídeos e fotos para arrecadar alimentos

Comitê Olímpico Internacional divulga nova data para as Olimpíadas de Tóquio