Alegria pós-confinamento

Direto de Barcelona, Marcelo Magalhães relata emoção em voltar ao surfe depois de dois meses de confinamento


Covid-19, dois meses de confinamento. Para um surfista aficionado é difícil, mas para o surfista barcelonês, que tem como playground o Mar Mediterrâneo meu amigo, pode ser muito pior, ainda que esteja acostumado com muitos dias flat.

Como o nome já supõe, Mar Mediterrâneo: Não há oceano. As ondulações que chegam são curtas, com um período baixo e são relativamente raras. Estou morando há 3 anos em Barcelona e nunca tinha visto um swell durar mais de dois dias e pior ainda, encostar um swell a cada semana, mas isso estava para mudar.

Foi entrarmos em quarentena total e as previsões já marcavam ondulações chegando. A cada semana confinados chegava uma ondulação nova, olhávamos as webcams e víamos ondas solitárias em todas as praias, água limpa, um só desejo: surfar e um só bloqueio: um vírus. Teve fissurado que tentou escapar, mas foi logo visto pelos milhares de telespectadores justiceiros (invejosos?) e a polícia chegou rápido. ¡Multa y para casa ya!

Lei de Murphy, ziq zira, praga, chame do que quiser, mas teve. Dois meses de confinamento e não parava de dar onda. Estávamos estupefatos, mas infelizmente não podíamos fazer nada. O mês de abril acabava e o governo espanhol criava o projeto "desescalada fase 0" onde anunciaria que a partir do dia dois de maio, poderiamos sair a praticar esportes, mas havia um detalhe: as praias da cidade seguiriam todas fechadas. Não entendíamos. Era uma situação paradoxal, poder fazer esporte, mas não poder entrar no mar. Muita confusão, fofoca e fake news começaram a rolar, e o pior de tudo: um swell bom chegava na semana seguinte!

Federações, atletas de águas abertas, surfistas amadores, todos os envolvidos começaram a se manifestar diante das frentes do governo local, pedindo a liberação da prática de esporte dentro da água também. Foi uma semana de muita ansiedade e tensão, de poder surfar ou não. Quando já não podíamos mais esperar, eis que dois dias antes do swell a prefeitura anunciava que as praias de Barcelona seriam abertas na sexta-feira, o dia que antecedia as ondas.

Comunidade do surfe feliz! Estaríamos de volta à água depois de incontáveis dias presos dentro de casa, com boas ondas e alguns típicos perrengues mediterrâneos, como crowd absurdo e quantidade imensurável de aprendizes, mas o que vale é estar na água!

Um muchísimas gracias ao meu bom amigo Nil, que a propósito já conhece muito bem as ondas da Bahia, e fez umas fotos para eternizar esse momento de felicidade da galera presente nesse primeiro dia de surf pós-confinamento.

PUBLICIDADE Banner UV Guilherme

Relacionadas

Fabricio Bulhões fala sobre acidente ocorrido em free surf na praia do Norte, em Ilhéus

Fabrício Bulhões sofre acidente durante free surf e passa por cirurgia

Fabrício Bulhões sofre acidente durante sessão de free surf na praia do Norte

FBSurf nomeia nova diretoria executiva e divulga calendário em assembleia no fim de agosto

Prefeito ACM Neto prorroga interdição das praias de Salvador

Abalo sísmico de magnitude 3,3 na escala Richter é registrado no litoral de Ilhéus

Avanço da maré na zona norte de Ilhéus causa destruição e prejuízos a moradores e comerciantes

Bicampeão nacional Jojó de Olivença concorre à presidência da Confederação Brasileira de Surf