Começa o show

Tem início o primeiro QS 6000 da temporada nas ondas da Cacimba do Padre


O Oi Hang Loose Pro Contest abriu o primeiro QS 6000 da temporada na terça-feira, com a Cacimba do Padre já bombando altas ondas no primeiro dia de Sol e muito calor em Fernando de Noronha. O paraibano Samuel Igo comandou o show, surfando o primeiro tubaço nota 10 neste retorno do evento mais tradicional do surfe brasileiro para a ilha após 7 anos. Ele já havia brilhado em outro tubo que valeu nota 9 para totalizar 19 pontos de 20 possíveis no quarto confronto do dia. O bicampeão mundial Gabriel Medina estreia nesta quarta-feira e as baterias podem começar mais cedo, com a primeira chamada marcada para as 7h00 no arquipélago pernambucano, onde o fuso horário é de 1h00 a mais do restante do Brasil.

“Que momento especial que nem consigo acreditar, só agradecer a Deus mesmo pelo privilégio de voltar a essa ilha”, vibrou Samuel Igo, que há muitos anos mora no Rio de Janeiro. “Eu tenho uma conexão muito boa com esse lugar, muita gratidão e estou feliz demais em conseguir fazer esses dois high-scores (notas altas), feliz por estar conectado na onda. A prancha boa ajudou bastante também, mas o campeonato está só começando”.

O paraibano falou mais sobre o tubo que arrancou a primeira nota 10 unânime dos cinco juízes no Oi Hang Loose Pro Contest: “Eu estava muito atrás da onda e, quando remei nela, nem acreditei que seria tão boa, porque vi que ela ia secar muito lá na frente e eu estava muito atrás. Só que eu já tinha remado, então fui com tudo e quando dropei, a prancha projetou muito pra frente, mas vi que dava tempo de sair. As placas foram caindo e fiquei focado olhando no finalzinho do tubo, falando pra mim mesmo que ia dar certo, que ia dar certo e consegui sair amarradão. Foi demais e esse lugar é realmente incrível”.

Nessa mesma bateria em que Samuel Igo conseguiu a primeira nota máxima, a força das ondas da Cacimba do Padre também partiu a primeira prancha ao meio. Era do norte-americano Eithan Osborne, que mesmo assim se classificou em segundo lugar para a próxima fase, superando o havaiano Cole Alves e o brasileiro Daniel Ostrowski. Eithan ganhou a primeira etapa da temporada em Israel, mas já perdeu a liderança no ranking do WSL Qualifying Series para o australiano Jack Robinson, campeão do outro evento com o mesmo status QS 3000 em Pipeline, semanas atrás no Havaí.

DESTAQUE GRINGO – Entre os surfistas estrangeiros, o primeiro a se destacar no Oi Hang Loose Pro Contest foi o português Miguel Blanco. Duas baterias após os recordes de Samuel Igo, ele também completou um tubo quase perfeito que valeu a segunda maior nota da terça-feira, 9,07. Com ela, venceu fácil aos três brasileiros que enfrentou em sua estreia no QS 6000 de Fernando de Noronha, Lysandro Leandro, Wesley Leite e Luan Hanada.

“O mar está bem difícil agora com a maré muito seca, mas ainda existem alguns tubos perdidos”, disse Miguel Blanco. “Eu tentei ficar ativo dentro d´água e foi uma boa bateria pra mim. Peguei uma direitinha no início, depois uma esquerda melhor no final que rodou aquele tubão e estou muito contente, pois foi uma boa maneira de começar o ano. Eu vim aqui pra Noronha uns cinco anos atrás numa surf trip e peguei um mar de gala aqui, então quando vi que o evento estava confirmado no calendário, não pensei duas vezes e estou feliz por ter começado bem o campeonato”.

ESTREIA DE MEDINA – Nesta primeira rodada de 24 baterias, competem os surfistas que não estão bem ranqueados na World Surf League e as principais estrelas formam a lista dos 48 cabeças de chave que só entram na segunda fase. Os dois confrontos que abriram a terça-feira, definiram os primeiros adversários da maior atração desta edição do Oi Hang Loose Pro Contest, o bicampeão mundial Gabriel Medina.

Ele vai estrear na primeira bateria da segunda fase nesta quarta-feira, junto com um dos surfistas de Fernando de Noronha convidados pela Hang Loose, Patrick Tamberg. O primeiro a se classificar foi o costa-ricense Tomas King, que venceu a bateria estrangeira com o havaiano Benji Brand e o francês Adrien Toyon. Ela marcou oficialmente o retorno do evento que foi disputado por treze anos consecutivos na Cacimba do Padre, de 2000 a 2012.

“Um amigo já tinha me falado que eu iria para a bateria do Medina se ganhasse, então eu já sabia e fico feliz por isso”, disse Tomas King. “Vai ser legal enfrentar o campeão mundial e eu vou tentar fazer o meu melhor. Eu quero me classificar para o CT e os pontos aqui são importantes para isso. Não entraram muitas ondas na bateria, mas consegui surfar algumas e espero que na próxima tenha mais tubos. Estou ansioso já para amanhã (quarta-feira)”.

A outra vaga para completar a bateria de Gabriel Medina com Patrick Tamberg e Tomas King, foi definida no primeiro confronto 100% brasileiro do Oi Hang Loose Pro Contest. O carioca Pedro Neves pegou boas ondas para escapar de encarar o bicampeão mundial com a vitória. Os outros três surfistas ficaram brigando pelo segundo lugar e o jovem potiguar Mateus Sena, 16 anos apenas, levou a melhor sobre o paulista Vitor Mendes e o baiano Franklin Serpa.

“Está bem complicado o mar, a bateria teve poucas oportunidades de tubos, eu só tive uma, mas fui com a estratégia de somar pontos no início para me classificar e estou feliz que deu tudo certo”, disse Mateus Sena, que falou sobre competir com Medina. “Para ser bem sincero, eu vou realizar um sonho. Acho que para a maioria dos competidores aqui, é um sonho competir com o Gabriel (Medina). Eu já estou louco pra entrar na água e soltar o meu surfe para tentar até ganhar dele, nunca se sabe. Mas, é uma bateria que eu quero passar”.

JEAN DA SILVA – Na terça-feira, enquanto as baterias rolavam no mar, foi realizada uma homenagem para o surfista catarinense Jean da Silva, que faleceu dois anos atrás. Ele já foi campeão nos tubos da Cacimba do Padre em 2006 e vice-campeão na última final disputada em Fernando de Noronha em 2012, vencida pelo paulista Miguel Pupo. O diretor da Hang Loose, Alfio Lagnado, se juntou ao grupo de pessoas na praia que levantava uma prancha que ele deixou na ilha, contendo a inscrição: “Jean da Silva Forever”.

PUBLICIDADE

Relacionadas

Veja a galeria de imagens do primeiro dia do Itacareense na Tiririca

Ryan Fadul vence na Iniciantes e Matheus Neves fica em quarto na Estreantes, na etapa do Circuito Sebastianense em Juquehy (SP)

Mateus Herdy e Tainá Hinckel vencem o Pro Junior Series na Barra da Tijuca (RJ)

Confira as fotos e o resultado do Festival ASPI de Surf na praia de Ipitanga

Fotógrafo Adaílton Rocha registra o primeiro dia do Festival ASPI de Surf, na praia de Ipitanga

Barra da Tijuca (RJ) inaugura circuito sul-americano; Stella Maris sedia etapa em julho

Festival ASPI de Surf acontece no próximo final de semana (4 e 5/5) na praia de Ipitanga

John John Florence vence Filipe Toledo na final da etapa da WSL em Bells Beach, na Austrália