Tops dissecados

Confira a parte final da análise do nosso colunista Lalo Giudice sobre os Top 34 do Circuito Mundial


Gabriel Medina é na opinião de nosso colunista o homem a ser batido. Foto: WSL


Agora sim! Após 3 meses de férias, a elite do surf mundial volta a se encontrar, tradicionalmente, nas perfeitas, extensas e divertidas ondas de Snapper Rocks, na Gold Coast, Austrália. A janela do evento abre hoje (18:00 horas) para nós brasileiros, se estendendo até o dia 12, conforme horário de Brasilia (na Australia é de 03 a 13 de abril).

Nesta semana, fizemos um raio x em todos os atletas que compõem a temporada 2019, restando apenas os top 10, os dez atletas que encabeçaram o ranking do ano passado e justiça seja feita, precisam de um pouco mais de destaque.

10 – Kanoa Igarashi – O japonês campeão mundial do QS do ano passado, teve seu melhor ano de carreira, surfando com pranchas de um shaper brasileiro.

Pontos Fortes – Fluidez e progressividade.
Pontos Fracos – Sua abordagem muitas vezes traz muito o fundo da prancha em seus movimentos, o que não é valorizado. Oportunidades – Como já está praticamente nas Olimpiadas de Tóquio, tem a chance de ingressar no seleto top 5 do Circuito Mundial. Ameaças - Surf sólido dos mais experientes, além de muito foco no QS, como nos últimos dois anos, pode prejudicar seu rendimento no CT. Opinião do Colunista - Surfa muito. Esse ano Kanoa deverá subir mais algumas posições no ranking.

9 – Wade Carmichael - O sólido australiano, mesmo sob desconfiança de muitos, mostrou seu power surf e conquistou o titulo simbólico de Rookie of the Year.

Pontos Fortes – Power surf.
Pontos Fracos – Falta de progressividade e um backside pragmático.
Oportunidades – Mostrar que não foi estreante do ano por acaso e buscar a tão sonhada vaga nas Olimpiadas de Tóquio.
Ameaças – Nova geração e novos estreantes.
Opinião do Colunista – Se der mole, irá pelo mesmo caminho do Connor O`Leary, ser estreante em uma temporada e sair no outro ano.

8 - Michel Bourez - O espartano taitiano, que até já venceu o Pipe Masters, vem para mais uma temporada no Tour entre os 16 primeiros.

Pontos Fortes - Aptidão para ondas de consequência e power surf.
Pontos Fracos - Falta de progressividade.
Oportunidades - Buscar o tão sonhado titulo mundial.
Ameaças - Novos estreantes e a nova geração.
Opinião do Colunista - Está na posição justa para com seu nível de surf.

7 - Conner Coffin – O hipster americano criado nas direitas de Santa Barbara fez um grande ano, inclusive levando o prêmio de melhor bateria do ano, contra o brasileiro Gabriel Medina nas quartas de finais do último Pipe Master.

Pontos Fortes - Surfista que usa bastante as bordas em seus movimentos.
Pontos Fracos - Falta de progressividade.
Oportunidades - Ir para as Olimpiadas de Tóquio pelos EUA. Ameaças - Ser engolido pelos novos entreantes e a nova geração. Opinião do Colunista - Teve o melhor ano de sua carreira. A tendência é ir caindo no ranking de agora em diante.

6 - Owen Wright – O irmão mais velho da família mais surf do mundo vem para mais uma temporada buscando bater sua melhor posição no ranking final do tour, um terceiro colocado.

Pontos Fortes - Surfista completo.
Pontos Fracos - Não possui uma mente competitiva.
Oportunidades - Ser campeão mundial e ingressar no time australiano para as Olimpiadas de Tóquio.
Ameaças - Como toda família, possui uma vida simples, de campo, o que pode diminuir seu ímpeto competitivo.
Opinião do Colunista - O mais harmonioso backside do planeta está nessa posição, exclusivamente pelo seu talento natural, sem treinos específicos, dietas, apenas com o dom do seu surf.

5 - Jordy Smith - A eterna promessa para o título, o sul-africano Jordy Smith já chegou a ser vice campeão mundial e sua saga para o maior caneco deverá continuar.

Pontos Fortes - Surfista completo.
Pontos Fracos - Seu backside é muito inferior a seu frontside, além de inconsistência.
Oportunidades - Se tornar campeão mundial de surf pela primeira vez, além da vaga olímpica.
Ameaças - Não tem.
Opinião do Colunista - Um dos maiores frontsides do Tour, tem no máximo dois anos para tentar o tão sonhado titulo, caso contrário, já era.

4 – Ítalo Ferreira - O surfista que mais ganhou etapas ano passado, junto com Gabriel Medina, deixou uma melhor imagem da temporada passada do que Julian Wilson e Filipe Toledo.

Pontos Fortes - Surfista completo, está entre os 5 maiores aerialistas do mundo.
Pontos Fracos - Sua abordagem, principalmente de frontside, em ondas perfeitas, ainda deixa a desejar.
Ameaças - Não tem.
Opinião do Colunista - Mais um brasileiro com grandes chances de titulo mundial. Tem o domínio total da prancha a seus pés e vem para brigar mais um ano pelo título.

3- Filipe Toledo – O prodígio ubatubense, o melhor surfista de ondas pequenas do mundo, além do mais veloz atleta do tour, vem mais maduro para esta temporada.

Pontos Fortes - Qualquer onda para direita.
Pontos Fracos - Falta de aptidão para ondas de consequência, principalmente para esquerda.
Oportunidades - Provar que pode ser campeão mundial de surf, além de assegurar uma vaga nas Olimpiadas do Japão.
Opinião do Colunista - Se continuar a não passar boa parte de sua pré temporada no Hawaii, nem a comparação com Taj Burrow seria justa. Taj ganhou Pipe e Teahupoo.

2 - Julian Wilson - O queridão de 2018 buscou o titulo até o fim e vem para mais uma temporada como franco favorito ao titulo de 2019.

Pontos Fortes - Surfista completo.
Pontos Fracos - Não tem.
Oportunidades - Ser campeão mundial, além de ir para os jogos Olímpicos de Tóquio, representando a Austrália.
Ameaças - Não tem.
Opinião do Colunista - Surfista fora da curva, surfa muito e vai brigar pelo titulo deste ano.

1 - Gabriel Medina - Nosso ídolo, atual campeão mundial de surf, vem para o tão sonhado tri campeonato, como o mesmo nos revela sempre.

Pontos Fortes - surfista completo.
Pontos Fracos - Não tem.
Oportunidades - O tri e a vaga nos jogos Olímpicos de Tóquio. Ameaças - Sua vida “extra campo”, pode desfocar.
Opinião do Colunista - O maior competidor do mundo, o mais completo surfista da elite, o maior goofy da história do surf mundial vem para mais uma temporada como grande favorito.

Após toda apresentação feita por nós,do Surfbahia, aos 34 melhores surfistas do tour, cabe a você sair correndo agora e fazer seu time em nosso Fantasy, vai ficar de fora?

Liga : Portal SurfBahia

Senha: surfbahia2019

 

PUBLICIDADE

Relacionadas

Nosso colunista Lalo Giudice analisa o Rio Pro, etapa da WSL que acontece em Saquarema (RJ)

Nosso colunista Lalo Giudice comenta a vitória de John John Florence em Margaret River e a atuação do time brasileiro na etapa

Nosso colunista Lalo Giudice analisa a vitória de Kanoa Igarashi e a excelente campanha de Slater na etapa de Keramas, na Indonésia

Nosso colunista Lalo Giudice analisa os favoritos para o título da etapa do Circuito Mundial em Keramas

Nosso colunista Lalo Giudice comenta todas as polêmicas da etapa de Bells Beach

Nosso colunista Lalo Giudice faz um raio x sobre os Top 8 do Circuito Baiano Profissional

Nosso colunista Lalo Giudice faz um raio x sobre os Top 16 do Circuito Baiano Profissional

Nosso colunista analisa os atletas brasileiros para a próxima parada do Tour em Bells Beach