Templo sagrado

Nosso colunista Lalo Giudice comenta sobre a expectativa do início da etapa da WSL em Saquarema (RJ)


O Maracanã do Surfe recebe os melhores surfistas do mundo. Foto: WSL / Daniel Smorigo


Será aberta amanhã (11/5), a janela de espera para a quarta etapa do Circuito Mundial de Surf Profissional da WSL, o Oi Rio Pro, que acontece em Saquarema, Região dos Lagos, no Rio de Janeiro.

O ”Maracanã do surf brasileiro” recebe pela segunda vez consecutiva e pela terceira vez na história, os melhores surfistas do mundo em eventos válidos pelo WCT, divisão de elite do surf mundial. Alguns eventos importantes também foram disputadas nestas ondas, porém com status Prime, valendo apenas para o Qualifying Series, vencido até por alguns brasileiros que estarão no Oi Rio Pro, a partir de amanhã, como citaremos no desenvolvimento desta matéria.

Evento aguardado por muitos e deixado de lado por alguns. Não é de agora que o 11 vezes campeão do mundo, Kelly Slater, não se apresenta em águas tupiniquins. Aliás, Slater ainda não deu as caras esse ano em etapas válidas pelo Circuito Mundial. É a terceira vez consecutiva que o mesmo não participa da etapa brasileira. Já Joel Parkinson, que fez quartas de final no ano passado em Itaúna, também já demonstra sinais de cansaço dos anos de Tour e desinteresse pela perna brasileira da WSL.

Diante desses dois desfalques, mais a ausência do brasileiro Caio Ibelli, que está machucado, os paulistas Miguel Pupo e Wiggolly Dantas, assim como o lider do QS, o catarinense Alejo Muniz e o vencedor da triagem, realizada nesta manhã de quinta feira (10/5), o paulista Deivid Silva, já estão escalados no primeiro Round do evento, deixando o Brasil mais uma vez como a nação dominante do Circuito Mundial de Surf.

Na Feminino, além da cearense Silvana Lima, teremos a vencedora da triagem, a local Tais de Almeida, e pela primeira vez competindo pelo Brasil, a gaúcha Tati Weston-Webb, que deverá ser ovacionada pelo público presente, já que fará sua estreia como “brasileira” exatamente no “Maracanã do surf nacional”.

Já no Masculino, quando a buzina soar, começaremos os trabalhos com o prodígio Filipe Toledo, encarando o agora japonês, Kanoa Igarashi e o pernambucano Ian Gouveia. Toledo, que já ganhou a etapa brasileira e é um dos grandes favoritos ao titulo do Oi Rio Pro, precisa de uma dose extra de paciência nesta bateria, já que se envolveu em duas recentes interferências polêmicas com o japonês. Já Ian, continuemos a acreditar em sua reviravolta e melhores resultados no Tour.

Na segunda bateria, Tomas Hermes e Miguel Pupo batem de frente com o grandalhão sul africano Jordy Smith, que tem bons retrospectos no Brasil, inclusive já ganhando uma etapa. Pedreira para os brasileiros, que precisarão de sorte e uma boa escolha de ondas.

Na terceira, o wildcard brasileiro Wiggolly Dantas enfrenta os australianos Owen Wright e Wade Carmichael. Guigui, que já ganhou um evento Prime em Saquarema, pode surpreender e fazer um grande evento em Itaúna.

Bateria 100% brasileira com o campeão mundial de 2014, Gabriel Medina, Jessé Mendes e o líder do QS Alejo Muniz, deve pegar fogo no quinta embate do dia. Medina, que bateu o próprio Jessé ano passado, que participava como convidado, é o grande favorito da bateria e da competição. Vem surfando muito e precisa desse titulo que falta em sua carreira. Já ganhou tudo no Brasil, QS 6 estrelas com 15 anos, em 2009, QS Prime em Imbituba em 2011, Mundial Pro Junior em 2013, porém todas vencidas em águas catarinenses. Compete em Saquarema desde novo e já ficou até em 3º no Prime de 2012, vencido por Matt Wilkinson.

Na sexta bateria o paulista Deivid Silva tenta estragar a festa do australiano líder, Julian Wilson, além do experiente americano Pat Gudauskas. Deivid, que venceu a triagem, tem todas as chances de desbancar Gudauskas e o líder Julian, pois está acostumado com essa situação, já que em 2015, desbancou Matt Wilkinson, que liderava naquela ocasião.

O líder do ranking, o potiguar Italo Ferreira, mede esforços com o australiano Connor O´ Leary e o havaiano Keanu Asing na sétima bateria do dia. Surfando com a lycra amarela e pegando atletas com um seeding ranking baixo, Italo tem tudo pra fazer um grande evento no Oi Rio Pro. Seu melhor resultado por aqui foi um terceiro lugar em 2015, perdendo na semi final contra Filipe Toledo.

Adriano de Souza encara a sensação americana Griffin Colapinto e o azarão sul africano Michael February no oitavo embate do dia. Adriano tem tudo para decolar no ranking aqui no Brasil. Seu retrospecto em águas cariocas é excelente com duas vitórias e um vice campeonato. Se conseguir vencer em Saquarema, Mineiro iguala a quantidade de vitórias dos australianos Dave Macaulay e Taj Burrow, ambos tem três canecos no Circuito Mundial em etapas realizadas no Brasil.

Na oitava bateria, Yago Dora enfrenta o taitiano Michel Bourez e o americano Conner Coffin. Yago, que ano passado como convidado terminou em 3º lugar, eliminando três campeões mundiais, John John Florence, Gabriel Medina e Mick Fanning, pode e tem condições de fazer seu melhor resultado no ano. Seu jogo de aéreos se encaixa muito bem nesta arena, e se o vento estiver propício, veremos um show de manobras progressivas deste paranaense radicado em Santa Catarina.

Três antigos finalistas nas etapas Prime de Saquarema se encontram na 11º bateria do Round 1. William Cardoso, vencedor do Prime de 2012, encara Matt Wilkinson, vencedor do Prime de 2013 e o francês Jeremy Flores, vice campeão do Prime de 2015. Se as majestosas esquerdas de Itaúna aparecerem, grande chances para o Panda, que encaixa muito bem suas potentes rasgadas de backside.

Fechando o primeiro Round do evento, o rookie cearense Michael Rodrigues pega o americano Kolohe Andino, além do português Frederico Moraes. Michael, que começou muito bem o ano, tem tudo para chegar nas cabeças desta etapa, já que o beach break de Itaúna estará perfeito para manobras de risco.

O havaiano John John Florence, que não vem tão bem no ranking, tem uma grande oportunidade de reverter sua situação, já que ganhou duas vezes em águas brasileiras. Além do que, acabou de ser beneficiado com a notícia de que o evento de Margaret River, cancelado pelos ataques de tubarão nas suas proximidades, será finalizado em Uluwatu, junto a 5º etapa do WSL, em Keramas.

Desta forma, teremos três etapas em menos de um mês. O Oi Rio Pro, o Corona Bali Pro e a finalização do Margaret River Pro, também em Bali, todas no mês de maio. Vão ser quase 30 dias de WSL, já que o Founders Cup foi semana passada! Mesmo com dedo do pessoal do Tio Sam nessas mudanças repentinas da WSL, estou apostando minhas fichas nos brasileiros, principalmente em Bali! Você já imaginou Gabriel Medina e Italo Ferreira nas esquerdinhas do Race Track? Eu Já! #gobrazzos

PRIMEIRA FASE DO OI RIO PRO 2018 EM SAQUAREMA:

1.a: Filipe Toledo (BRA), Kanoa Igarashi (JPN), Ian Gouveia (BRA)

2.a: Jordy Smith (AFR), Tomas Hermes (BRA), Miguel Pupo (BRA)

3.a: Owen Wright (AUS), Wade Carmichael (AUS), Wiggolly Dantas (BRA)

4.a: John John Florence (HAV), Joan Duru (FRA), Mikey Wright (AUS)

5.a: Gabriel Medina (BRA), Jessé Mendes (BRA), Alejo Muniz (BRA)

6.a: Julian Wilson (AUS), Patrick Gudauskas (EUA), Deivid Silva (BRA)

7.a: Italo Ferreira (BRA), Connor O´Leary (AUS), Keanu Asing (HAV)

8.a: Adriano de Souza (BRA), Griffin Colapinto (EUA), Michael February (AFR)

9.a: Michel Bourez (TAH), Conner Coffin (EUA), Yago Dora (BRA)

10: Adrian Buchan (AUS), Sebastian Zietz (HAV), Ezekiel Lau (HAV)

11: Matt Wilkinson (AUS), Jeremy Flores (FRA), Willian Cardoso (BRA)

12: Kolohe Andino (EUA), Frederico Morais (PRT), Michael Rodrigues (BRA)

PRIMEIRA FASE FEMININA DO OI RIO PRO 2018:

1.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Nikki Van Dijk (AUS), Coco Ho (HAV)

2.a: Tyler Wright (AUS), Caroline Marks (EUA), Bronte Macaulay (AUS)

3.a: Stephanie Gilmore (AUS), Malia Manuel (HAV), Taís de Almeida (BRA)

4.a: Lakey Peterson (EUA), Sage Erickson (EUA), Pauline Ado (FRA)

5.a: Carissa Moore (HAV), Silvana Lima (BRA), Paige Hareb (NZL)

6.a: Tatiana Weston-Webb (BRA), Johanne Defay (FRA), Keely Andrew (AUS)

PUBLICIDADE http://www.uvstore.com.br

Relacionadas

Nosso colunista Lalo Giudice aponta seus palpites depois da etapa francesa e comenta sobre os candidatos ao título mundial

Nosso colunista Lalo Giudice analisa o duelo acirrado entre Gabriel Medina e Filipe Toledo pelo título mundial

Nosso colunista Lalo Giudice analisa a vitória de Gabriel Medina no Surf Ranch Pro

Nosso colunista Lalo Giudice comenta a expectativa para o início do Surf Ranch Pro

Nosso colunista Lalo Giudice conta a história competitiva do ilheense Rudá Carvalho

Lalo Giudice fala sobre mais uma brilhante vitória de Gabriel Medina em Teahupoo

Nosso colunista Lalo Giudice analisa os candidatos ao título do Tahiti Pro em Teahupoo

Nosso colunista Lalo Giudice comenta a vitória de Filipe Toledo em J-Bay