Descobrindo a África

Engenheiro e freesurfer Thiago Pinho conta sua experiência nas ondas do continente africano


Estou na África há 4 anos, onde a princípio fui para Ghana. Um país pouco conhecido pelas ondas e que tive bastante dificuldade em encontrar algum pico de surf próximo de onde morava.

Após um ano, vim para o Senegal e no primeiro dia, retornando do aeroporto, passei na frente de um pico chamado Ouakam, que no dia quebrava altas ondas em um fundo de pedra perfeito, em uma praia com uma Mesquita enorme na frente do pico.

A partir disso, comecei a minha busca pelas ondas no Senegal e após 3 anos no país, ainda não surfei todos os picos. Tenho certeza que ainda existem diversos point breaks nunca surfados por aqui. A capital Dakar é abençoada pelo swell. Localizada no noroeste africano, recebe swell 365 dias do ano, visto que a cidade é dividida entre lado norte e lado sul, onde um lado sempre tem onda e liso.

Existem alguns Surf Clubs e a grande maioria são europeus em busca de ondas perfeitas e zero crowd. Ripcurl e Quiksilver são as marcas dominantes no mercado local, porém o acesso aos equipamentos se restringe a uma elite minoritária, o que dificulta o crescimento do esporte no país. Existe apenas um shaper local (existe um mercado promissor para aqueles que tem apetite).

Recentemente a equipe senegalesa de surf foi ao ISA na França e atualmente estão treinando para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

A galera local é muito tranquila e gente boa. Sendo respeitoso dentro e fora da água, você será sempre bem tratado por todos aqui. Os picos mais conhecidos são: Ouakam (esquerda e direita em um fundo de pedra com ouriços), Ilha de Ngor (ilha com acesso de barco, onde quebra uma direita pesada e volumosa nos dias grandes), Praia dos Almadies (considerada o ponto de encontro da galera do surf. Com infraestrutura de restaurantes, cafés e surfshops), Praia de Yenne (localizada ao sul de Dakar, com uma direita longa e manobrável lembrando Trestles).

Com toda certeza, Senegal é um destino alucinante para uma surf trip inesquecível e um excelente lugar para desfrutar na África.

PUBLICIDADE http://www.trofeuadrianodesouza.com.br/

Relacionadas

Dennis Tihara numa sessão de tubos divertidos em Padang

Baiano Adalvo Argolo experimenta a piscina de ondas da Kelly Slater Wave Company

Fotógrafo Thiago Monteiro clica sessão nas ondas de Arembepe

Fotógrafo Lucas Cavalcante registra o freesurf nas ondas do Barravento

Fotógrafo Jadson Souza registra sessão de freesurf na praia do Norte

Dennis Tihara passeando pelas esquerdas tubulares de Desert Point

Bruno Alexandre registra sessão nas ondas da praia da Ribeira, em Itacaré (BA)

Ondulação ganha força na capital baiana e proporciona bons momentos na Barra