Atleta revelação

Confira entrevista com Thaís Oliveira, campeã do última etapa do Baiano em Jaguaribe


Revelada na praia do Atalaia, em Salinópolis (PA), e atualmente radicada em Itacaré, Thaís Oliveira vem fazendo bonito nas competições.

Recentemente, Thais roubou a cena na categoria Feminina da terceira e última etapa do Tablas Surf Pro, em Jaguaribe, Salvador, vencendo a grande final.

A atleta vinha embalada por outros pódios, como o quarto lugar na última etapa do CBSurf Tour, na praia do Francês (AL), e a vitória no Sergipano em Aracaju.

Em entrevista concedida ao SurfBahia, Thais comenta o belo momento na carreira.

SurfBahia - Como foi o seu início no surfe?


Thaís Oliveira - Comecei a surfar em Salinas, que fica no interior do Pará. Meu pai pega onda então acabei tendo o contato com surfe desde criança. Tudo isso com muita dificuldade, pois morava longe da praia. Um tempo depois a dificuldade aumentou, pois tive que me mudar para Belém, onde a praia mais próxima fica a 223 quilômetros. Mesmo com todas as dificuldades, nunca deixei de amar o surfe.

SB - Atualmente você mora em Itacaré, como foi essa mudança em sua vida?

TO - Ano passado vim passar o final de ano em Itacaré. Já tinha ouvido falar muito bem da cidade, que tinha altas ondas, uma beleza natural incrível e realmente foi isso que me fez ficar na cidade. Fui adiando minha volta e acabei não voltando mais (risos).

SB - Como é a sua rotina em Itacaré? Faz algum tipo de treinamento específico?

TO - Hoje eu tenho uma rotina de treinos dentro e fora d'água, onde conto com o apoio da The Surf`s Cool, que faz um trabalho de treinamento funcional específico para o surfe. Consegui esse apoio através do Instituto APDC (A Prancha do Campeão). É um projeto incrível, que ainda está em processo de fundação em Itacaré, mas que já faz a diferença na vida dos atletas.

SB - Você venceu a última etapa do Baiano em Jaguaribe e foi uma das revelações do evento. Como foi essa vitória e qual a importância dessa conquista?

TO - Dediquei cada segundo dos meus dias ao surfe e o resultado foi surgindo. Fiquei sabendo da primeira etapa em Salvador, já tinha feito muitos amigos em Itacaré e eles me incentivaram a ir competir. Fui apenas querendo conhecer um pico novo e ter essa nova experiência dentro do esporte, que é a competição. Acabei ficando em segundo lugar, o que foi além das minhas expectativas. Com esse resultado foram aparecendo apoiadores e eu me dediquei mais. Ter sido campeã da última etapa do Baiano e vice campeã baiana em 2016 me trouxe um sentimento de superação muito significativo na minha vida, pois as dificuldades foram grandes durante o caminho. Além da dificuldade financeira, ainda tenho que lidar com a saudade e a distancia da minha familia.

SB - Como você vê a evolução do surfe feminino hoje na Bahia?

TO - As meninas estão surfando cada vez mais e conquistado seu espaço, mas ainda temos que evoluir muito, e isso só vai ser possível com a união de todas. Hoje em dia a maioria dos campeonatos no estado conta com a categoria Feminino e isso é bom, pois estimula e dá oportunidade para o desenvolvimento do esporte na região. Porém ainda existe uma diferença muito grande na questão da premição. E não podemos esquecer das categorias de base, pois será o futuro, onde sabemos que o surf exige dedicação desde cedo para quem quer se tornar uma campeã mundial.

SB - Quem são suas inspirações?

TO - A elite do Circuito Mundial de surfe feminino está muito bem representada, todas estão quebrando demais. Sempre que posso acompanho pela tv os campeonatos,
principalmente a Stephanie Gilmore, que me impressiona com seu estilo fluído e leve, mas que não deixa de ser agressivo.

SB - Qual é sua viagem dos sonhos?

TO - Em busca de evolução e novas experiências culturais, sonho com muitas surf trips pelo mundo, mas a Indonésia é vem em primeiro plano. E cada dia que passa tento fazer esse sonho se tornar mais proximo de realizar.

SB - Como é a relação com os homens no outside? Existe uma harmonia ou é um clima de disputa?

TO - Encontro muitos caras legais que ajudam e fortalecem dentro d'água e até mesmo liberam algumas da série (risos). O que queremos é respeito, mas infelizmente a falta dele existe em todos os lugares, e no outside não é diferente.

SB - As redes sociais vieram para alavancar e dar visibiliade para muitas pessoas. Como você trabalha com a questão da atualização das redes sociais?

TO - Eu tenho perfil no Instagram (@thaisoliveirasouza_),  onde tento sempre manter atualizado, pois além de compartilhar meus momentos, ele tambem é usado como ferramenta de trabalho, onde faço divulgações das marcas que me apoiam.  

SB - Quais são as expectativas e os planos para 2017?
 
TO - Para o ano que se aproxima as expectativas são muitas, mas eu dependo dos meus apoiadores e estou correndo atrás de um patrocinador. Pretendo correr todo o Circuito Baiano, Brasileiro Amador e Profissional. Para concretizar isso estou buscando patrocínio e novos apoiadores, mas independente de qualquer coisa, estarei surfando e treinando todos os dias com o mesmo objetivo de sempre, que é evoluir meu surfe.

SB - Deixe sua mensagem e agradecimentos.

TO - Deus tem me abençoando muito, colocando pessoas do bem no meu caminho. Meus apoiadores são pessoas que se tornaram amigas, que fazem um papel importante na minha vida. Sou muito grata a Vitor Rollin e a Tarek Roveram, que estão me ajudando muito, e também a tia Dora e suas filhas Isadora e Luiza, que são minha segunda família. Quero agradecer também a minha família, que mesmo de longe e não compreendendo minha escolha, sempre estão ao meu lado demostrando amor. O surf é um esporte que o contato com a natureza é extremo, além do fato de ser pura adrenalina e relaxante ao mesmo tempo. Quanto mais próxima e íntima do mar eu estou, mais sinto a presença de Deus em mim. Não vejo outra explicação para ser tão apaixonada por esse esporte que é meu estilo de vida. E quando alguém me pergunta se surfar é bom, o surf foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Então aproveite esse verão, pegue uma prancha, coloque seu melhor biquíni e corra para a praia. Muito obrigada, agradeço imensamente por dedicar seu tempo a essa leitura.

*Thaís Oliveira conta com o apoio da @clinicadosurf, @sdasurf, @thechampionsurfboard, @indexkrown, @lakini, @msgadventure e @thesurfscool.

PUBLICIDADE http://bit.ly/1ZEkdaJ

Relacionadas

Felipe Gradin, o Felipinho PDC, é um dos reforços do time da equipe Mahalo

Braian Ramos fala sobre a vitória na Taça Futuros Campeões e seu atual momento nas competições

Confira entrevista com Taiwan Chan antes de embarcar para sequência de competições

Confira entrevista com Dalmo Meireles sobre sua primeira temporada na Indonésia

Confira entrevista e vídeo com os momentos da viagem de Ives Lopes para a Califórnia

Bino Lopes concede entrevista exclusiva ao SurfBahia, direto das Ilhas Fiji

Big rider baiano Heloy Junior comenta sua última temporada havaiana

Sávio Ribeiro apresenta vídeo com uma entrevista do legend baiano Maurício Abubakir